Conecte a nossas redes:
conecte a nossas redes:

Mulher Cafa x Autoestima Aula 1

Descrição:

Quem possui aqui a autoestima sempre lá em cima levante a mão? Acho que ninguém! Acredito que nesse planeta não exista quem não tenha problemas com autoestima. Nós mulheres então, somos mestres quando o assunto é nos jogar para baixo, seja pela aparência física ou por nossas capacidades intelectuais. Sempre achamos que somos menos, insuficientes, inacabadas, cheias de faltas e defeitos. Parece que temos uma voz que insiste em nos dizer que toda a população terrena é melhor do que a gente. Fora quando nos comparamos! Aí é de lascar a melancia! No jogo sujo da comparação, sempre perdemos! A grama do vizinho é sempre melhor. Se fosse só algo mental, ok! O problema é que essas vozes, esses pensamentos, nos fazem acreditar que realmente não somos capazes, que não merecemos e que não valemos nada. E se não temos valor, também não merecemos vivenciar o que de melhor a vida tem a nos oferecer. Culpamos o mundo, culpamos o Universo, culpamos a Deus, pegamos o elevador e descemos rumo ao subsolo. “Quem sou eu pra…” – Você pensa. “Fernanda, eu me trato bem. Eu tenho bons pensamentos. Eu escuto todos áudios. Por que então ainda tenho desvalor na minha vida? Por que ainda sou passada para trás? ” O seu esforço é primordial. Mas note que existe algo aí dentro que incomoda, que fecha, que cutuca e que a coloca na posição de “preciso me esforçar muito, ficar impecável, gastar os tubos naquela roupa, naquele sapato, naquela maquiagem...preciso trabalhar mil horas a mais para provar que eu sou alguém...”. E por que? Porque lá dentro você ainda sofre daquela síndrome de insuficiência. Tenho uma notícia para lhe dar: Todo mundo sofre de baixa estima nesse mundo. Todo mundo acredita ser uma grande fraude. Todo mundo se sente na corda bamba todos os dias quando acorda. Até os grandes artistas, grandes cientistas, grandes filósofos, estudiosos e gênios. Todos! Sem exceção! Logo, minha amiga, você está salva. Você está segura. Você não é louca, nem tampouco sem salvação. A autoestima é cultivada, é aprendida, é compreendida aos poucos. Ninguém sai de um estado de baixa estima, se sentindo a última das criaturas, para alguém maravilhoso. As situações da vida muitas vezes nos jogam lá pra baixo. Eu sei! Mas o que será que a vida está tentando lhe dizer? O que será que essas mesmas situações estão querendo que você enxergue? Será que esses mesmos pensamentos não continuam lá? Talvez com outra roupinha, mas os mesmos? Será que não se encontra lá tudo debaixo do tapete? Não basta apenas ter bons pensamentos. Não basta apenas ler textos e escutar áudios. Existe uma mudança de paradigma, de postura, de visão sobre você que necessita verdadeiramente ser mudado. Caso contrário tudo será em vão. Essa mudança de atitude necessita de alguns ingredientes como coragem, dignidade, confiança, segurança, fé, egoísmo e uma pitada cômica. Afinal, de perto mesmo ninguém parece ser muito normal, não é mesmo? Mas coragem pra quê? Coragem para ser quem se é, dignidade para se assumir até com fraquezas e fragilidades, confiança que você vai sobreviver independente do que acontecer, segurança de que você é você e, portanto, é seguro ser você, fé na vida, nas leis, egoísmo para se concentrar em você deixando o “fora” de fora e capacidade para rir de tudo e de todos, afinal a vida é muito engraçada. Nossa cabeça então é comédia na certa! E quando você resolve colar as placas ninguém segura! Nem eu! (Risos). E nesse curso conversaremos sobre tudo isso e principalmente das posturas principais que você precisará adotar a partir de agora para aprender a ter uma boa autoestima. Afinal, quando estamos bem conosco, ninguém nos joga mais para baixo. Se você acredita em você, o que dizem, o que acham, o que pensam não faz mais diferença. Hoje eu cheguei exatamente nisso, apesar de minha cabeça muitas vezes trazer certos pensamentos do passado, mas que são rebatidos instantaneamente. Não me culpo, não me curvo, não me ajoelho, não me lamento e não me arrependo. Estou sempre certa em qualquer circunstância. A cabeça do outro não tem mais força sobre mim. O que o outro vai pensar muito menos. Eu fiz um dia esse trabalho comigo e agora quero que você também faça o mesmo. Não digo que foi algo simples. Tive que jogar fora uma série de padrões, posturas e personagens que não me serviam mais para o tipo de vida que eu queria pra mim. Valeu a pena, você não acha? Vale a pena para você também! Eu garanto!

Palestra em Áudio

Áudio

Investimento